Se você está pensando em mudar a decoração de sua casa e não sabe bem por onde começar, confira algumas dicas que o blog da Concisa preparou para você!

Pesquisa

Esta dica é bem importante! Afinal, mesmo que tenhamos uma boa noção de decoração (ou acreditamos que temos), é preciso afiar o que sabemos com informações de terceiros para ficarmos por dentro de tudo que é novidade. É claro que essa tapa vai depender do que exatamente você quer decorar: se vai trocar os móveis de casa ou mudá-los de lugar, se quer acrescentar alguns itens de decoração, ou até mesmo se vai mudar completamente o ambiente, com reformas e novos móveis.

Antes de mais nada, é o seu gosto que deve nortear todo o processo de decoração. Pois não adianta você deixar um ambiente que não se sinta à vontade. É preciso ter bom senso para mesclar o que você gosta junto com aquilo que está na moda. A ideia é pegar referências de como cada ambiente está sendo decorado: sala, cozinha, quartos, banheiros e, etc;. Comprou um móvel novo para televisão e não sabe o que colocar em cada nicho dele? Não sabe qual tapete vai combinar com o sofá da sala? E aquele quadro grande que você ganhou, em qual local colocá-lo sem que ele pareça “desajeitado”? É claro que um designer de interiores vai saber o que fazer com tudo isso, mas ideia aqui é justamente você decorar o seu imóvel de maneira simples e sem gastar muito. Por isso a etapa de pesquisa é muito importante!

Depois que você fizer uma pesquisa, já vai saber quais são os itens de decoração que mais estão em alta e pode partir para a próxima fase. Confira nossas próximas dicas abaixo!

Tamanho e posição dos móveis

Bem, é preciso ter em mente que nem tudo que é novo, bonito e na moda vai ficar bem na sua casa. Isso vai depender do tamanho do ambiente, em qual local o objetivo/móvel vai ser colocado, se ele vai combinar com os outros móveis que estão ao redor dele, entre outros.

Um exemplo: você comprou uma árvore artificial para colocar na sala mas ainda não sabe bem onde vai colocá-la. Está em dúvida se vai posicioná-la em algum dos lados do sofá, no lado de uma poltrona, do espelho ou da TV. A primeira coisa a se ter em mente é que essa árvore não pode atrapalhar na passagem das pessoas. O propósito desse item, depois da decoração propriamente dita, é preencher espaços vazios. Ou seja, entre você colocar em uma parede que já está cheia de móveis (onde vai deixar o ambiente ainda mais pesado!) ou ao lado de um sofá onde não tem nada, é claro que você vai optar pela segunda opção. Por isso é muito importante pesquisar! Assim você irá compreender que decoração é muito mais do que “deixar” um objeto em determinado local só porque você quer mostrá-lo.

Outro exemplo é o caso da pessoa que compra um sofá gigante em L para um pequeno espaço. Embora a pessoa alegue que ela quer algo confortável, é importante ter em mente que existem diversos outros sofás que são confortáveis e que não ocupam tanto espaço. Quer um sofá grande para esticar as pernas? Simples: opte pelo sofá retrátil, ou por aqueles puffs para descanso de pés que podem ser deslocados para outro lugar após o uso e não ficam presos sempre no mesmo lugar. São opções simples mas muitas vezes os moradores não se dão por conta.

Iluminação

É inevitável começar falar sobre iluminação sem a frase “uma boa iluminação faz toda a diferença”. Mas e agora, será que você vai ter que contratar um designer de interiores para pensar na iluminação dos cômodos de sua casa? Só se você quiser! Pois é um problema fácil de ser solucionado e, de baixo custo. Antes de mais nada é preciso analisar o ambiente: você considera a sua sala bem iluminada? Bem, se você não sabe responder isso, uma dica é pegar o seu telefone celular e tirar uma foto sua ou de alguém dentro desse ambiente. Se o resultado for semelhante ou inferior a um dia nublado na rua quer dizer que o ambiente está mal iluminado. Experimente tirar essa foto o mais longe possível da lâmpada mas ainda dentro do mesmo cômodo. Mesmo que a câmera de um celular hoje em dia compense bem essa falta de luz, a ideia é que uma foto dentro de um ambiente seja equivalente a uma tirada na luz do dia na rua.

Confira algumas dicas de iluminação para cada ambiente:

  • Sala de estar: uma dica é utilizar uma lâmpada central branca ou um lustre para iluminar o ambiente como um todo. Como luz auxiliar, o morador pode optar por olho de boi e/ou sanca no gesso. Caso não for possível, utilize luminárias de coluna.
  • Quartos: devem ser bem iluminados, mas sem exageros. Por isso basta uma lâmpada central ou lustre no teto. Para quem deseja ter uma lâmpada de descanso e de leitura, é possível utilizar um abajur ou uma luminária de coluna.
  • Cozinha: a iluminação pode ser feita apenas com uma lâmpada ou luminária central, apenas com olho de boi no gesso, ou com as duas juntas. A cozinha deve ser um dos locais mais bem iluminados da casa, pois quem está fazendo a comida quer visualizar bem os alimentos que está cozinhando para ter certeza que está tudo sob controle.
  • Escritório: uma lâmpada ou lustre central no teto bem clara e, se possível, luminárias/abajur na escrivaninha.

Cores

Outro item para você decorar o seu apartamento sem um arquiteto decorador são as cores. Mas não pense que é só comprar qualquer cor para as paredes que tudo vai ficar lindo. Todo ambiente deve estar em sincronia, mas isso quer dizer que a cor de todos os móveis tem que combinar com a coloração das paredes? Não! É possível ter um móvel (ou mais) com uma cor completamente diferente de todo o resto justamente para destacá-lo do resto. A ideia é fazer aquele item chamar a atenção sem perder a sintonia.

Exemplo: você tem uma sala com paredes brancas, sofá na cor creme, tapete na cor creme, rack para TV na cor imbuia, mas quer dar um pouco mais de vida e cor para o ambiente sem sobrecarregá-lo? Opte por uma poltrona com uma cor diferente do resto do ambiente. Veja na imagem abaixo um exemplo em que a poltrona serve como peça de destaque na sala:

É importante ter em mente que existem diversas possibilidades de combinações de cores. Seja escolher uma cor base para o ambiente e, a partir dela, trabalhar com cores neutras; ou trabalhar com cores complementares, que são aquelas que contrastam entre elas e assim por diante.

A ideia aqui não é aprender sobre a paleta de cores, mas sim fazer com que você se inspire com esses exemplos e tenha a mente aberta na hora de pensar na decoração!

Outra dica para decorar um ambiente sem ajuda de um design de interiores é imaginar como aquele lugar vai ficar depois de pronto. Aqui vale montar esse ambiente na sua mente, vale tirar foto do lugar e fazer montagens no Photoshop. A ideia é não sair comprando os móveis e achar que aquilo vai combinar com tudo na sua casa. Por isso, antes de fazer a compra de um item de decoração pense se ele vai combinar com o que você já tem. É por esse motivo que ressaltamos a parte da pesquisa para que você já crie um esboço, nem que seja mentalmente, de como vão ficar os cômodos depois de pronto!

Esperamos que essas dicas tenham deixado as coisas mais simples para você decorar a sua casa sem um arquiteto decorador. Não esqueça de seguir a nossa página do Facebook para acompanhar mais publicações aqui de nosso blog!