A Caixa Econômica Federal anunciou uma série de medidas emergenciais para estimular o mercado imobiliário, a fim de garantir os contratos vigentes com o banco e também de preservar empregos no setor da construção civil. As ações foram anunciadas na última semana e beneficiam tanto pessoas físicas quanto jurídicas, injetando 43 milhões de reais na economia. As determinações apresentadas pela Caixa visam a amortecer os impactos econômicos ocasionados pelo novo coronavírus, cujas medidas de prevenção, como o isolamento social, têm gerado consequências em todas as áreas. 

Dessa forma, neste post, nós, da Construtora Concisa, vamos mostrar um pouco mais sobre as principais medidas adotadas pela Caixa e esclarecer como serão aplicadas na prática. Confira!

Carência de 180 dias em novos contratos

As diligências propostas pelo banco atentam principalmente às demandas de compra, assim, as medidas acabam por estender os prazos de pagamento para facilitar a aquisição de um novo imóvel. O sonho da casa própria, portanto, ganha mais facilidades! Sem dúvida, é a medida que mais chama a atenção, pois proporciona ao comprador de um imóvel, tanto um o que se enquadra no Minha casa, minha vida quanto um de renda média, a carência de até 180 dias para novos contratos de financiamento. A medida passa a valer a partir do dia 13 de abril.

Pagamento parcial dos encargos por 90 dias

Outra importante medida adotada pela Caixa propõe ao cliente um pagamento parcial da parcela de financiamento, que pode ser realizado por quem possui contratos em dia e também para os contratos que estão em atraso de até duas parcelas. A ação, a princípio, permanece em vigor por um prazo inicial de 90 dias. Sendo assim, o cliente pode pagar parcialmente o débito da parcela do contrato por até 3 meses. 

Além disso, os clientes que possuem vinculação de suas parcelas com o FGTS para o pagamento de parte do contrato podem, por ora, pausar os pagamentos das parcelas não cobertas pelo fundo de garantia por também 90 dias. 

Liberação de até duas parcelas na construção individual

Para o caso dos clientes que constroem com financiamento do banco, a Caixa disponibilizou a antecipação do recurso em até 2 meses. Além disso, o processo não terá a necessidade de vistoria da obra. A principal preocupação da instituição em conter os efeitos da pandemia está ligada à manutenção de empregos no setor da construção civil. A estimativa das medidas é de manter cerca de 1,2 milhão de empregos na área.

Negociação de contratos em atraso

As medidas também visam à manutenção de contratos para que não haja a necessidade de suspensão. Por isso, a Caixa, em seus canais exclusivos, passa a negociar as parcelas em atrasos de clientes com dificuldades nos pagamentos. Assim, permite-se a renegociação de contratos com parcelas em atraso de 61 a 180 dias, permitindo, dessa forma, a pausa ou o pagamento parcial das parcelas por até 90 dias. Essas medidas, claro, têm como objetivo não perder os contratos e ajudar os clientes neste momento de crise.

Todas essas medidas entram em vigor nesta segunda-feira (13). Segundo a Caixa, a instituição avalia constantemente o cenário econômico imposto pelo novo coronavírus e não descarta ampliar as linhas emergenciais. Para saber mais detalhes sobre as medidas do banco, você pode acessar aqui! Quer estar por dentro de mais informações? Acesse o blog da Concisa e fique bem informado!